galdinoalves

poesias

Textos


"SOMOS TODOS VIOLENTOS?"

A violência está diretamente ligada ao poder, todo poder é violento, prepotente, autoritário, abusivo, corrupto e usa várias formas para coagir. Se a ação for com relação ao coletivo, prevalece à hegemonia, se é no que diz respeito ao individual, predomina o autoritarismo; alguém manda e o fulano obedece. Quando o ser humano se acha poderoso, aí começa ditar as suas regras, no coletivo é a mesma coisa, o grupo que assume o poder, dita como é que tem que ser, e, quem não cumprir as ordens, é taxado de subversivo. O X da questão está na falta de seriedade na aplicação e no cumprimento da lei. Isso pela falta do respeito mútuo. Quem se diz poderoso manda e quem precisa se submete a obedecer. A maioria das ciências evoluiu, mas a Sociologia parou no tempo, não acompanhou a humanidade, os fatos sociais ocorrem a passo de gigante. E assim a Sociologia não consegue alcançá-la para sociabilizar, civilizar e humanizar o Homem, este, se torna cada vez mais; individualista, violento, corrupto e corruptível no sentido lato da palavra! A História da humanidade sempre foi assim, sangrenta, seja nas religiões, seja nos grupos sociais ou nos grupos políticos. A violência se faz presente quando o objetivo é a manutenção do poder pelo poder. "SOMOS TODOS VIOLENTOS?" Na atualidade está faltando pensadores para repensar o nosso comportamento? Até então não aprendemos a viver em grupos, socialmente falando. Na medida em que cresce a população, aumenta a violência pela conquista de espaço, do ser e poder! Aí é cada um por si e Deus por todos, prevalece à lei do mais forte, do esperto que nem sempre se dá bem. E cada um que mate os leões, que retire as pedras do caminho, que faça o seu pé-de-meia. ”Os meios justificam os fins” esse é o pensamento coletivo. Até quando vai ser assim? Ninguém sabe, até porque ninguém tem tempo para uma reflexão a respeito do tema em questão. Por onde começar, pergunta alguém, o outro responde; fazendo uma mesa redonda desde que eu seja o presidente da mesa! E assim segue a humanidade navegando no mar turvo em noite sem estrelas.

Barreiras-BA-23-06-2015
Antônio Galdino.
Antonio Galdino
Enviado por Antonio Galdino em 26/01/2018
Alterado em 02/05/2018


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras