galdinoalves

poesias

Textos


     
4 - ASSÉDIO OU ARMADILHA?
PP
Chega de mentir, pare de inventar,
Eu nunca fiz um assédio a você,
Não é vero, o que você vive a falar,
Você está a me comprometer.

É você que vem toda oferecida,
Provocante e fazendo insinuação,
Fora de hora e não permitida,
Porém com uma segunda intensão!

E com o intento de me provocar,
Você usa malícia claramente,
Cruza as belas pernas ao se sentar
Quando se encontra aqui em minha frente.

Eu lhe confesso que vou à loucura,
Mas resisto essas suas provocações,
Pois as suas tentações e diabruras,
Jamais me farão agir sem razões!


BARREIRAS-BA-16-01-2018
Antônio Galdino.



Por  Jacó Filho - ARGUMENTO SEDUTOR///

Abraça-me como amiga, mas sem pressa.../
Ajusta a pressão, bem onde toca os seios.../
Fala de sua saudade, e me aperta ao meio.../
E sonda minha reação enquanto conversa.../
Cai a manga da blusa sem pegar de volta,/
Rouba meu domínio essa fonte de prazer,/
Que se molda ao corpo pra sentir crescer.../
Digo que não posso, e ela finge que solta.../
Quase desnuda meu olhar não se contém.../
Minhas mãos desgovernadas a acariciam,/
Livra-nos da roupa, e ambos se arrepiam.../
Olhamos em volta, pra ver se há alguém,/
Rendo-me aos argumentos que cresciam,/
A tal velocidade, que mais, me matariam.../
"Querer é poder" Condicionar o poder as vontades/
de uma mulher é ter muita confiança em si mesmo.../


Por- Galdino. 
Valeu nobre poeta, a tua interação ficou primorosa. 

 
Antonio Galdino
Enviado por Antonio Galdino em 17/01/2018
Alterado em 12/03/2019


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras