galdinoalves

poesias

Textos

A ÁGUA NÃO TEM DONO NEM NAÇÃO


A ÁGUA NÃO TEM DONO NEM NAÇÃO


...Há quem queira comer beber e não tem.
E há quem não queira comer nem beber.
Mas isso, a poucos líderes convém,
Que tenhamos direito a comer e beber.

Não dá pra entender quando você diz
Que está fazendo greve de fome.
Pare! Viver é preciso, viva e seja feliz,
Dê água aquém tem sede, não tome.

Se a água é a fonte maior da vida,
Pare! Deixe o nordestino viver.
A água deve ser distribuída,
E para todos é que ela deve ser.

A água que vem do lado de lá,
É água que já passou, é sobra!
Essa água não vai mais te faltar,
Deixe de birra, não faça manobra.

Pare! Não queira fazer questão,
Deixe a água seguir seu curso,
Á água não tem dono nem nação,
Chega, pare com esse discurso!

Deixe a água cumprir o seu destino,
E o desejo do vosso Pai criador,
Que também é pai do nordestino
Que clama por água ao nosso Senhor.

Deixe a água molhar a face do sertão,
Saciar a sede desse povo sem mágoa,
Mágoa de alguém que se diz seu irmão,
Embora lhe negue o sobejo da água!

Barreiras BA – 08 / 08 / 2007

Antonio Galdino

Antonio Galdino
Enviado por Antonio Galdino em 25/08/2010
Alterado em 11/04/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras